Dás explicações? Consegue novos explicandos!
Inscreve-te como Explicador(a) no Estudante.com para apareceres no directório de explicadores.

Mensagem de erro

Strict warning: Only variables should be passed by reference em mulpo_preprocess_page() (linha 3 de /home/cde/public_html/sites/all/themes/mulpo/template.php).

Conferência Fundação Gulbenkian "A Teoria do Caos:de Hommer Simpson ao futuro do Planeta" | 6 Junho 2012| 18h00

3 entradas / 0 new
Última mensagem
Rita Rebelo de ...
Conferência Fundação Gulbenkian "A Teoria do Caos:de Hommer Simpson ao futuro do Planeta" | 6 Junho 2012| 18h00

Resumo:
Na linguagem corrente o caos é uma “condição de grande desordem ou confusão”, conceito que evoca a ausência de um padrão e uma certa ideia de aleatoriedade. Mas o conceito matemático de Caos tem um significado muito diferente e nada tem a ver com a ideia de desordem. A Teoria do Caos é, no entanto, uma ciência de surpresas e do imprevisível, que nos ensina a poder esperar pelo inesperado. Estuda fenómenos impossíveis de prever como o tempo, a turbulência, ou a evolução dos mercados financeiros. Mas, para além destas e tantas outras aplicações, há um lado fascinante que os cientistas só agora começam a compreender e que ajuda a responder a questões que a espécie humana desde sempre se colocou: como é que o universo começou, como é que a poeira cósmica inicial se transformou na matéria inteligente que somos, qual será o futuro do nosso planeta, ou como é que a história da humanidade poderia ter sido radicalmente diferente. E para provar que uma iniciação à Teoria Matemática do Caos está ao alcance de todos, Homer Simpson pode ser convocado.
_______
M. Paula Serra de Oliveira fez a sua formação matemática na Universidade de Coimbra e na Université Pierre et Marie Curie em Paris. É atualmente professora no Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. O seu domínio de investigação situa-se no âmbito da modelação e simulação numérica de fenómenos físicos e biológicos, áreas em que tem dado contribuições originais. Dedica ainda particular atenção ao papel da interdisciplinaridade na produção do conhecimento, tendo publicado recentemente o livro CIÊNCIACIDADE.
Informações: 21 782 35 25 | matematica2012@gulbenkian.pt

Rita Rebelo de ...
Programa Estímulo à Investigação 2012

Com o objetivo de estimular entre os mais novos a criatividade e a qualidade na atividade de investigação científica a Fundação Calouste Gulbenkian instituiu o Programa de Estímulo à Investigação.
O Programa distingue anualmente propostas de investigação de elevado potencial criativo em áreas científicas no âmbito das disciplinas básicas: Matemática, Física, Química e Ciências da Terra e do Espaço, apoiando a sua execução em centros de investigação portugueses.

Regulamento

1. O Programa de Estímulo à Investigação destina-se a jovens envolvidos em trabalhos de investigação em instituições de investigação portuguesas, cuja idade seja inferior a 26 anos em 31 de Dezembro de 2012.
2. Os concorrentes deverão ter como habilitação mínima o grau de licenciado e não poderão ter obtido ainda o grau de doutor. Os participantes no Programa serão selecionados através de um concurso público.
3. Aos concorrentes selecionados pelo Programa de Estímulo à Investigação será atribuído um incentivo financeiro total de €12.500, repartido em duas parcelas:
• €2.500 para o investigador;
• €10.000 para a Instituição de acolhimento suportar os encargos com a execução da investigação durante o ano subsequente.

Os resultados dos trabalhos distinguidos deverão ser objeto de publicação.

4. Em 2012, o Programa de Estímulo à Investigação abrange as seguintes áreas científicas:

I. MATEMÁTICA
Análise Funcional e Equações Diferenciais

II. FÍSICA APLICADA
Teorias, Modelos, Técnicas (Exs: Ciências da Vida, Estruturas, Fotónica, etc.)

III. QUÍMICA
Química em Ambientes Extremos

IV. CIÊNCIAS DA TERRA E DO ESPAÇO
Astronomia / Astrofísica / Cosmologia

5. As candidaturas deverão ser apresentadas ao Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian até 21 de Setembro de 2012.
6. Só serão admitidas a concurso as candidaturas registadas no formulário próprio disponível em www.gulbenkian.pt/ciencia e submetidas on line.
7. As candidaturas deverão ser individuais. Da candidatura deverão constar:
7.1 Curriculum Vitae do candidato (no formulário);
7.2 Resumo/abstract do trabalho de investigação (no formulário);
7.3 Proposta do trabalho de Investigação;
7.4 Declaração de aceitação do candidato, por parte da Instituição de
Investigação onde se pretende desenvolver o trabalho, referindo o nome
do investigador que se responsabilizará por garantir o apoio científico e
institucional ao candidato;
7.5 Outra documentação considerada relevante para a avaliação científica
da candidatura;
8. A documentação referida em 7.3, 7.4 e 7.5 deverá ser enviada (em PDF ou JPG) através da funcionalidade de upload da área pessoal do candidato na aplicação MyFile, disponibilizada após submissão da candidatura eletrónica.
9. Cada candidato poderá submeter apenas uma candidatura.
10. A seleção dos concorrentes será efetuada por um Júri cuja composição é da responsabilidade da Fundação Calouste Gulbenkian. Os critérios a utilizar pautar-se-ão pela qualidade da proposta apresentada a concurso e pela maturidade científica do candidato.
11. Serão selecionados dois concorrentes por cada área. O número máximo de distinções a atribuir é de oito.
12. Os resultados do concurso serão divulgados até 30 de Novembro de 2012.

INFORMAÇÕES: Fundação Calouste Gulbenkian | Serviço de Ciência
E. estimulo@gulbenkian.pt | T. (+) 217 823 525

MarianaL
Boa tarde Rita! Serão

Boa tarde Rita!

Serão realizadas mais conferências deste género na fundação?

Com entrada livre?

Obrigada.