Dás explicações? Consegue novos explicandos!
Inscreve-te como Explicador(a) no Estudante.com para apareceres no directório de explicadores.

Mensagem de erro

Strict warning: Only variables should be passed by reference em mulpo_preprocess_page() (linha 3 de /home/cde/public_html/sites/all/themes/mulpo/template.php).

Como manter uma boa relação com os colegas de casa

Fotografias de amigos

Ir estudar para a universidade pode implicar ir para longe de casa, ou seja, ter de viver, pela primeira sozinho e, na maioria dos casos, com outras pessoas. Podem ser amigos de infância, de liceu, de turma ou perfeitos desconhecidos, mas independentemente da relação existente (ou não) é preciso estabelecer e cultivar uma boa relação com os colegas de casa – faz parte da experiência universitária.

Respeito mútuo. Conhecido ou não, depressa vais descobrir que viver com um amigo ou colega não é a mesma coisa que encontrá-lo nas aulas ou no vosso café preferido. No entanto, há uma regra de ouro que deve comandar as relações com qualquer colega de casa: trata-o da mesma forma que queres ser tratado nessa tua casa longe de casa. O que significa que tens de respeitar a sua personalidade, crenças, opiniões e espaço privado. Exige o mesmo.

Começar com o pé direito. Dadas as boas-vindas, conhecida a casa e desfeitas as malas, deves ter uma conversa com o teu roomate onde estabelecem as regras básicas da casa, ou seja, um conjunto de princípios orientadores com os quais ambos concordam para evitar futuras desavenças. Pode parecer uma conversa constrangedora, mas é essencial, não só para organizar o vosso dia-a-dia (conheces alguma casa que não tenha regras?) –uma vez que ambos provavelmente têm origens e estilos de vida distintos –mas também para que saibam o que esperar e o que querem evitar antes que um de vós faça algo que o outro não aprecie particularmente. Se tiverem dúvidas sobre alguma coisa em particular, esta é a altura ideal para as esclarecer.

O dia-a-dia. No meio da azáfama que é a vida académica e social, nunca te esqueças onde e com quem vives, nem das tuas obrigações em casa. Isto quer dizer que tens de assumir todas as tuas responsabilidades, ou seja, se esta semana é a tua vez de limpar a casa de banho e pagar a renda, não te esqueças, nem te faças de esquecido. Não vais querer ver a conta de luz com uma multa porque não foi paga a tempo ou a cozinha por limpar na próxima semana quando for a vez do teu colega, pois não? Se o teu roomate começar a quebrar uma (ou mais) regra pré-estabelecida, convém que seja chamado à atenção o mais cedo possível. Os assuntos devem ser esclarecidos antes de se tornarem num enorme problema (e numa altura em que o colega possa nem ter percebido que se tem esquecido de trancar a porta todas as noites, por exemplo): se deixares passar mais esta vez e outra e outra… quando finalmente falarem, as coisas (que entretanto foram acumulando-se) podem correr menos bem.

O que é teu é teu, o que é dele é dele. Alguns dos maiores problemas entre colegas da mesma casa prendem-se muitas vezes com o pegar e utilizar as coisas do outro sem permissão prévia. Pode ser algo tão simples como a pasta de dentes, um par de brincos ou um litro de leite, mas o suficiente para ofender alguém. Se queres pedir algo emprestado, é preciso fazer isso mesmo: pedir, antes de pegar. Se têm um acordo onde têm total liberdade para utilizar as coisas um do outro, podes fazê-lo, mas com conhecimento: deixe-lhe um post-it a dizer que pegaste naquele livro ou acabaste com a manteiga dele; mal possas, devolve o livro e compra um pacote de manteiga. É tão simples como isto. 

Colegas, colegas, amigos à parte. Nem todos os colegas de casa na universidade serão os teus próximos melhores amigos, nem tão pouco amizades que vão durar para todo o sempre. Por isso, ao conheceres o teu novo roomate não passes a noite inteira a contar-lhe todos os pormenores da tua vida e depois esperar que ele faça o mesmo. Há que dar tempo ao tempo, as pessoas conhecem-se com a convivência diária e na universidade isso não é excepção. Não te entregues de corpo e alma a esta “nova relação” só para dois meses depois chegares à conclusão que não têm absolutamente nada em comum. Não te esqueças que qualquer colega de casa terá já o seu próprio círculo de amigos e tu também deves ter.

Roomates forever. Claro que existe o verso da moeda, quando descobres que a pessoa com quem vives é um excelente amigo, do melhor que já alguma vez tiveste e ainda tens a sorte de poderem viver juntos! Para descobrir tudo isto, é importante a abertura perante essa pessoa, o seu passado, cultura e personalidade – aproveita para aprender coisas novas, não é para isso que serve toda a experiência universitária? Ele pode ensinar-te a cozinhar e tu podes ensiná-lo a tocar guitarra; ou ela pode ensinar-te a cozer e a fazer as tuas próprias roupas, enquanto tu podes ensiná-la ioga. Quando verdadeiras, as amizades devem ser preservadas… para além do mais, é sempre bom ter um amigo quando se chega a casa, especialmente quando essa é a vossa casa longe de casa.

Passado, presente e futuro. À medida que o tempo avança e a vossa convivência se torna cada vez mais familiar e confortável, não deixem de estar atentos às vossas realidades específicas, àquilo que podem facilitar ou alterar. Ambos vão crescer e evoluir como pessoas, as coisas mudam de um momento para o outro em diversas áreas da vida, por isso, tenham sempre o à-vontade para lidarem com cenários inesperados, para relembrarem velhas regras ou estabelecerem novas. Se existe um problema, não facilitem só porque se dão super-bem, falem sobre tudo abertamente. Acima de tudo, sejam flexíveis e respeitadores.  

Check list de assuntos a delinear com colegas de casa

  • Se podem trazer amigos/amigas para jantar/pernoitar
  • Se podem trazer namorados/namoradas para jantar/pernoitar
  • Horário limite para visitas
  • Horário limite para telefone fixo/telemóvel (a partir do qual se coloca em silêncio)
  • Horário limite para televisão/música (a partir do qual se baixa o volume ou se utilizam auscultadores)
  • Horário de estudo diário/fim-de-semana
  • Horário de descanso/dormir
  • Despertadores matinais (quantas vezes é que podem carregar no snooze para não acordar os outros…)
  • Se podem ou não emprestar coisas uns aos outros, em que termos e condições (roupa, livros, DVDs, CDs…)
  • Partilha ou não de alimentos
  • Partilha ou não de electrodomésticos trazidos por outros (TV, DVD, sistema de som, microondas, aspirador, máquina de lavar roupa, ferro…)
  • Distribuição de tarefas domésticas (limpeza, lixo, certificar que portas e janelas estão fechadas, compras…)
  • Quem paga as contas e quais (água, luz, gás, renda…)
A sua votação: 
Média: 5 (7 votos)