Dás explicações? Consegue novos explicandos!
Inscreve-te como Explicador(a) no Estudante.com para apareceres no directório de explicadores.

Mensagem de erro

Strict warning: Only variables should be passed by reference em mulpo_preprocess_page() (linha 3 de /home/cde/public_html/sites/all/themes/mulpo/template.php).

7 dicas para apresentar um trabalho sem stress

Mulher em frente a computador

Seja qual for o nível de ensino, vai chegar o dia em que terás de fazer uma – ou muitas – apresentações de trabalhos. Quer já tenhas tido essa experiência ou não, reunimos 7 dicas que vão acalmar os nervos, aliviar o stress e garantir o sucesso da tua próxima apresentação na sala de aula.

1. 100% original

O primeiro, e talvez o mais importante aspeto a ter em conta na apresentação de um trabalho académico, é termos sido nós próprios a fazer o trabalho! Quando estamos a apresentar um trabalho feito por nós, sabemos explicar exatamente tudo aquilo que lá está e isso é meio caminho andado para uma apresentação bem-sucedida. Mesmo que o trabalho tenha sido feito em grupo, familiariza-te com tudo, de uma ponta à outra, evitando faltar às sessões de trabalho agendadas pelo teu grupo. Não te esqueças que, para além das ferramentas informáticas existentes que permitem facilmente identificar se um trabalho académico foi ou não plagiado, a linguagem utilizada na elaboração do próprio trabalho, é uma dica valiosa para os professores identificarem o seu autor. Cada pessoa tem a sua própria forma de escrever e utiliza expressões que o identificam… e qualquer professor que conviva com os seus alunos consegue rapidamente identificar os seus trabalhos. Encontra a tua voz e utiliza-a para atingir o teu sucesso académico!

2. Não deixes para a última

Para que a apresentação do trabalho corra da melhor forma possível, ou seja, com uma excelente nota final, o trabalho deve ficar pronto, no mínimo, dois dias antes da apresentação. Essas 48 horas vão ser cruciais não só para rever todo o trabalho com calma, como será essencial para preparar uma apresentação informática e, claro, treiná-la! Quer seja em frente ao colega de casa ou um espelho, treinar a apresentação do trabalho é uma excelente forma de verificar se não te esqueceste de incluir nenhuma informação relevante no trabalho e até aperfeiçoá-lo, bem como cronometrar o próprio tempo da apresentação, para não ultrapassares o tempo máximo estipulado pelo professor.

3. Apresentação 5 estrelas

Não há dúvida que ter um apoio informático que sirva de suporte à apresentação do trabalho é uma ajuda preciosa, porém, podes otimizar essas vantagens ao ter em atenção os seguintes pontos:

  • Os diapositivos não devem estar cheios de texto. O objetivo não é passar todo o trabalho para a apresentação, mas sim, apenas os tópicos que te vão orientar ao longo da mesma. Sempre que possível, transmite a informação por esquemas e/ou imagens;
  • O tamanho da letra nunca deverá ser inferior a 16 para que a apresentação seja percetível para todas as pessoas dentro da sala, independente do lugar que ocupam (é importante relembrar que alguns tipos de letra são mais pequenos do que outros);
  • Opta por um tema ou imagem de fundo que não impossibilite a leitura e interpretação da informação que consta em cada diapositivo. Limita-te ao mesmo fundo para toda a apresentação ou, se for realmente necessário, escolhe um diferente para cada tema abordado na apresentação;
  • As transições também devem seguir a mesma regra, ou seja, apenas uma para toda a apresentação ou, quando necessário, uma diferente para cada tema abordado na apresentação;
  • As animações, principalmente as de entrada, podem ser uma preciosa ajuda para ir divulgando a informação à medida que a apresentação vai evoluindo, mas não deves abusar desta ferramenta;
  • Em resumo, a apresentação eletrónica deve servir para te ajudar a explicar o trabalho e não como algo que distraia o “público” com informação, efeitos especiais e formatações excessivas.

4. Pensar fora da caixa

Quando os professores entregam o enunciado do trabalho, é habitual indicarem exatamente aquilo que pretendem ver abordado no trabalho, bem como na apresentação e como esta deve decorrer. Caso isso não aconteça ou se tiveres qualquer dúvida, não tentes adivinhar, nem inventar! Nada pior do que chegar ao dia da apresentação e descobrires que fizestes tudo completamente ao contrário. Atualmente, todos os professores disponibilizam o seu email académico para que os alunos possam entrar em contacto com eles. Tira partido desta mais-valia, mas atenção, não o faças no dia anterior à apresentação com perguntas para as quais já deverias saber a resposta! Embora vais querer fazer um trabalho e preparar uma apresentação que vá de encontro àquilo que o professor espera de ti, nunca te esqueças que uma boa dose de criatividade e inovação também podem tornar uma apresentação banal, numa apresentação bombástica!

5. A tua apresentação também conta

Dependendo do curso, da disciplina e do professor para o qual irás apresentar o trabalho, pode ser necessário a utilização de roupa mais formal no dia da apresentação. Embora não estejamos a falar de uma apresentação de carácter profissional, a tua apresentação académica só fica a ganhar – aos olhos do professor e dos teus colegas – se também tu te apresentares bem vestido. É óbvio que não deves deixar de ser tu, ou seja, apresenta-te sempre com uma roupa com a qual te sintas confortável… para desconfortável já basta a situação pela qual vais passar!

6. Nervos à flor da pele… não!

A tua postura no dia da apresentação também é muito importante porque, se ainda não sabes, ficas a saber que a linguagem corporal diz muita coisa! Na hora de apresentar um trabalho académico, não deves adotar nem uma postura de brincadeira, nem uma postura muito rígida. A primeira indica que não te importas com a nota que te será atribuída e a segunda mostra que tens a apresentação toda decorada e que não podes arriscar nenhuma distração para não te esqueceres de nenhuma palavra! Ambas as situações devem-se aos nervos normais que invadem qualquer estudante antes de qualquer apresentação.

Mas vamos pensar de forma lógica: “Estamos nervosos porque não queremos que a apresentação corra mal. Mas não serão os nervos que irão fazer com que isso aconteça?” Se seguiste todas as recomendações dadas até agora, tens boas probabilidades de estar muito bem preparado, por isso, respira fundo.

Posiciona-te de forma a conseguires ver o “público”, mas mantém a tua apresentação sempre visível por um cantinho do olho. É nela que se encontra o guião que estás a seguir, por isso, se por algum motivo te esqueceres do que deverias dizer a seguir, para e olha para a apresentação. É preferível fazê-lo e conseguir continuar a apresentação do que ter vergonha de o fazer e começar a falar de coisas que não são as corretas ou que nada têm a ver com aquilo que deveria vir a seguir!

Lembras-te quando sugerimos que utilizasses esquemas ou imagens para apresentar as tuas ideias? Esta dica é ótima, pois, não só dá um aspeto visualmente agradável ao que queres transmitir, como te vai ajudar na própria apresentação, uma vez que terás de olhar ou aproximar-te desses esquemas/imagens para as explicar – o pretexto perfeito para olhares para a apresentação e poderes ter a certeza do que estás a dizer, assim como também é um bom momento para acalmar os nervos.

7. Boa sorte!

A verdade é que cada professor é um professor e cada disciplina é uma disciplina. E o que funciona com uns professores pode não funcionar com os outros. O ideal é estudar a forma como o professor dá as suas aulas. Apresentar o trabalho da mesma forma que o professor costuma dar as aulas é, sem dúvida, meio caminho andado para o sucesso. Agora cabe-te a ti percorrer a outra metade. Boa sorte!

A sua votação: 
Média: 4.1 (164 votos)